O nível de dificuldade em conseguir uma boa apólice para motociclos é conhecido e não vale a pena continuar a insistir nesse aspecto, pois tão depressa não irá sofrer alterações. Assim, resta apenas tentar encontrar o melhor seguro moto possível com recurso ao poder da informação, a ferramenta mais útil para enfrentar este problema que sempre existiu e cujas perspectivas futuras tendem para a manutenção do estado de coisas.

Se neste momento se depara com esta busca complicada ou pretende adquirir uma duas rodas nos próximos tempos preste muita atenção aos três conselhos que lhe deixamos em seguida e não hesite em aplicá-los na sua demanda pela apólice certa. Mesmo que não resultem no seu caso ficará de consciência tranquila, uma vez que usufruiu de todos os meios à sua disposição para obter o negócio mais vantajoso para si.

– Optar por uma condução defensiva e uma atitude preventiva é uma dica que serve para conseguir poupar no seguro moto mas também na subscrição deste tipo de produto seja qual for o veículo em título. Para as seguradoras o que interessa são os clientes de baixo risco, ou seja, aqueles que à partida tenham uma menor predisposição de sinistros, algo que é avaliado pelas empresas do sector mediante as informações constantes do historial prévio, nomeadamente através da consulta de incidentes inscritos nos cadastros automobilísticos;

Manter a moto em boas condições é outra das atenuantes do valor das apólices deste género de veículos que pode contribuir para que tenha uma anuidade bastante reduzida. Embora este seja um aspecto impossível de ser levado em conta nos primeiros 12 meses dos contratos será um trunfo crucial que deve usar aquando da negociação de renovação do seu seguro moto. Seja um cliente inteligente e demonstre à seguradora que possui argumentos para justificar uma descida no preço da respectiva subscrição;

– A frequência de usufruto da viatura também influencia o montante pedido na hora de assinar o seguro, o que já não acontece no caso de nenhum outro veículo. A maioria das seguradoras oferece apólices mais baratas quando existe pouca utilização da moto, o que na prática é uma descriminação relativamente aos restantes meios de transporte. A justificação das empresas é que o risco de acidentes aumenta quando a viatura está em circulação, uma explicação claramente verdadeira mas que não é considerada nestes moldes quando se trata de automóveis, carrinhas e afins, podendo desta forma entender-se como um sinal evidente da notória diferenciação existente entre os diferentes tipos de veículos no que toca aos critérios de fixação do preço dos seguros;

 

Tags: