O mercado de motociclos e quadriciclos registou, em Fevereiro, uma variação homóloga de 24,2%, destacando-se o acréscimo de 388% nas motas de cilindrada entre 50 e 125 cc, um crescimento associado à “lei das 125”.

Segundo dados divulgados hoje pela Associação Automóvel de Portugal (ACAP), o segmento dos motociclos de cilindrada entre 50 e 125 centímetros cúbicos teve, em Fevereiro, um crescimento de 388% face ao mês homólogo de 2009, reflectindo a aplicação da “lei das 125”, enquanto o segmento superior (mais de 125 cc) manteve uma variação homóloga negativa (-16%).

A “lei das 125”, que entrou em vigor em Agosto de 2009, permite aos condutores com carta de condução de ligeiros conduzir motociclos com cilindrada não superior a 125 cc e com uma potência máxima ate 11 Kw (15 cv).

Os motociclos com cilindrada superior a 50 cc atingiram as 1021 unidades vendidas em Fevereiro, registando uma variação homóloga positiva de 77,3%.

Pior desempenho teve o mercado de motociclos de cilindrada inferior a 50 cc, que caiu 27,2% face ao mês homólogo de 2009.

A subida de 36,3% no mercado de motociclos contrasta com a diminuição de 16,9% no mercado de quadriciclos.

O aumento das vendas de minicarros, que chegaram às 76 unidades, correspondentes a uma variação positiva de 8,6%, foi insuficiente para compensar o decréscimo no segmento das Moto4 (-25,5% face ao mês homólogo de 2009).

Em termos acumulados, nos dois primeiros meses deste ano, o mercado de duas rodas subiu 28,7% face ao período homólogo de 2009, enquanto os quadriciclos perderam 2,5%.

 

Tags: , ,